Archive for the Discos Category

30 Seconds To Mars: Parte 1

Posted in Ao vivo, Bandas, Cantores, Celebridades, Discos, Músicas, Músicos, Noites em Brasília, Shows, Tour, Turnê with tags , , , , , , , , , on October 23, 2014 by gabrielpalmaguitar

Eu a princípio não ia no show do 30 Seconds To Mars porque não consegui o credenciamento de imprensa a tempo. Mas no dia (21) estava separando uns CDs e vinis da minha avó para levar no sebo quando meu amigo Rafael Hedwig me ligou me chamando pra ir no show com ele e uma amiga dele pra vender algumas camisetas que ele fizera. Eu disse que não poderia ir porque ia buscar minha mãe no aeroporto, às 22h40.

Mas ele insistiu que eu fosse mesmo assim e disse que iria comigo no sebo para me ajudar a vender os discos porque ele tinha boa lábia como vendedor. Eu feliz aceitei a sua companhia e disse que ia busca-lo. Chegando na sua casa, ele disse que a amiga dele estava na 203 Sul e que a gente ia busca-la no ponto de ônibus do eixinho. Entrou no carro Suzane, uma menina muito simpática com uma blusa do David Bowie, que eu adoro.

Na minha casa, eu mostrei minha coleção de David Bowie pra ela. Quando fomos no sebo, Suzane se surpreendeu e perguntou por que eu estava vendendo aqueles vinis. “Eram da minha avó”, eu disse. Elvis, do sebo Acervo, separou alguns, mas poucos discos que interessavam. A maioria era de música clássica e ele já tinha na loja. “Nem se eu quisesse ficar com todos poderia, pois eles não cabem aqui”, explicou.

Achei legal da parte de Elvis me perguntar se eu ainda estava dando aulas de violão antes de fechar o negócio, mostrando um lado humano antes do comercial. Rafael comprou a coletânea Shaved Fish do John Lennon e disse que aquele foi o primeiro disco que ele ganhou, quando tinha sete anos, de sua mãe e que ouvia-o até riscar. Uma coincidência porque veríamos Jared Leto, que interpretou Mark David no filme Capítulo 27, dentro de algumas horas.

O vocalista do 30 Seconds To Mars havia representado o assassino de John Lennon na película. Fomos ouvindo esse CD no carro, que inclui a música Cold Turkey com participação de Eric Clapton. Eu disse que o som me lembrava David Bowie, na época de Young Americans, porque tanto Lennon quanto Bowie utilizavam o saxofone. Bobby Keys, o saxofonista dos Rolling Stones, fora o de Lennon em músicas como Power To The People.

Já David Sanborn era o saxofonista de Bowie. O tecladista Billy Preston, também com participação em Power To The People, tocara com os Stones e Beatles. Quanta cultura em uma ida para o sebo! Ah, mas para provar a ligação de Lennon com Bowie, os dois compuseram, juntos com o guitarrista Carlos Alomar, a música Fame, em janeiro de 1975. A letra fala sobre a fama e foi incluída no disco Young Americans.

Bom, Rafael não gostou da comparação de Lennon com Bowie porque ele não gosta de Bowie. Como Rafael adora Marilyn Manson, eu disse para ele que Manson disse em uma entrevista que o seu artista preferido era Bowie. Rafael mesmo admitiu a influência de Manson, citando inclusive o uso da lente de contato de Manson para imitar o olho de Bowie, que tem heterocromia. Embora tenha os dois olhos azuis, aparenta ter um olho de cada cor.

Me arrumei rápido e fomos para o show. Rafael deixou suas camisetas do 30 Seconds To Mars em consignação com o Roberto, que está sempre nos shows vendendo camisetas. Já ameaçava chover. Rafael então deixou Suzane dentro do show como ela já tinha ingresso e nós resolvemos ir no hotel Golden Tulip para conhecer a banda. Ah, sim, pude ir para o show porque meu irmão Tiago pôde ir buscar minha mãe no aeroporto.

Para entrar no hotel Golden Tulip, nós temos uma técnica. Lá eles são rigorosos com segurança e eu já fui barrado, assim como outros fãs de bandas. Eu entro falando inglês. Fiz isso no Guns n’ Roses deste ano. “I’m staying at the hotel”, foram as palavras mágicas. “Golden ou Royal”, perguntou o funcionário. “Royal”, respondi. E abre sésamo! Entramos extasiados. Na entrada havia uma ambulância então dissemos: “Entramos no local certo”.

Advertisements

Sai Welcome To Violence, novo single de John 5

Posted in Discos, DVD, Guitarristas, Lançamentos, Singles with tags , , , , , , on October 6, 2011 by gabrielpalmaguitar

John 5 (Marilyn Manson/Rob Zombie) lançou o novo single Welcome To Violence do seu disco ainda a ser lançado God Told Me To. Eu achei essa faixa bem industrial, com a base e a bateria me lembrando muito Ministry. Talvez até demais.

A arte da capa, que é bem legal, é do Piggy D., baixista e companheiro de banda do John no Rob Zombie. Segundo o site oficial do John, o álbum terá uma pintura de John 5 por Rob Zombie e virá ainda com um DVD.

John já havia lançado o primeiro single do disco, um cover de Beat It, de Michael Jackson, que não me cativou.

Mais informações

www.john-5.com

 

Al Jourgensen cita Bowie em Primental

Posted in Bandas, Discos, Músicas, Singles, Videos with tags , , , , , , , on August 1, 2011 by gabrielpalmaguitar

A música Primental do Ministry referecia música Always Crashing In The Same Car, do disco Low, de David Bowie. Vou ter que fazer um post sobre esse disco de 1977 porque ele é bom demais!!! Ouça abaixo as duas e compare!!!

A banda Ministry é mais conhecida pelo seu som industrial pesado, mas a primeira fase da banda foi New Wave. A música Primental foi lançada no Cold Case, um de uma série de quatro singles de 12″  lançados pela Wax Track! Records entre 1981 e 1984. Ela é uma versão instrumental de I Wanted To Tell Her, do primeiro LP do Ministry, With Sympathy (1983).

Fonte:

Wikipédia

Discogs

http://www.discogs.com/Ministry-Cold-Life/release/35463

Fantomas lançará DVD ao vivo de Director’s Cut

Posted in Bandas, Cantores, Discos, DVD, Lançamentos, Notícias, Videos with tags , , , , , , , , , , , on July 26, 2011 by gabrielpalmaguitar

A banda Fantomas, liderada por Mike Patton do Faith No More, lançará DVD ao vivo de seu disco de maior sucesso, Director’s Cut, em 6 de setembro. Trata-se de uma performance da véspera de Ano Novo de 2008 no Great American Music Hall de São Francisco.

O Director’s Cut é um disco de covers de temas de filme de terror como The Omem, Rosemary’s Baby, Henry: Portrait Of A Serial Killer, e de clássicos do cinema: The Godfather e Cape Fear.

A banda conta com membros do Melvins, Buzz Osbourne e Dale Crover, e Trevor Dunn, da primeira banda de Patton, Mr. Bungle. The Director’s Cut Live: A New Year’s Revolution terá todas as faixas do discos e algumas ainda não lançadas. Confira abaixo o setlist!

The Godfather
Night of the Hunter
Cape Fear
Experiment in Terror
One Step Beyond
Rosemary’s Baby
The Devil Rides Out
Spider Baby
The Omen (Ave Satani)
Henry: Portrait Of A Serial Killer
Vendetta
Investigation Of A Citizen Above Suspicion
Twin Peaks: Fire Walk With Me
Der Golem
Charade
Intermission
“Simply Beautiful” (bonus track)
“Chariot Choogle” (bonus track)

Ouça a música tema de Henry!

Fonte:

Fear Net

Reunião do Guns n’ Roses? Eu quero

Posted in Discos with tags , , , , , , on June 13, 2011 by gabrielpalmaguitar

The Taking do Duff McKagan’s Loaded é uma respiração de ar puro nas primeiras músicas do álbum. O disco que ia bem começa a piorar à partir de Wrecking Ball. Eu já ia dizer que esse disco é diferente de Believe In Me de 1993, que começa com músicas boas e vai piorando, talvez com a exceção da música Swamp Song com Jeff Beck. Mas não. Este disco tem o mesmo problema, começa bem e piora com músicas pouco inspiradas e Duff cantando pra enrolar.

Na música Cocaine Duff fala sobre vodka. Eu odeio esses rockeiros que dão lição de moral. Vi um vídeo sobre ele falando como foi quando tocou com o Guns n’ Roses em outubro do ano passado pela primeira vez desde 1997 em que ele diz: “Fui chamado pra tocar You Could Be Mine. Eu não me lembro dessa música. Não toco ela desde 1994. E lá estava eu no palco quando tinha que acordar às 7 horas no próximo dia para uma reunião”. Ele fala de excessos e diz que tem que acordar para reunião no dia seguinte? Por que ele não faz uma letra sobre isso? Que tal uma reunião da formação original do Guns n’ Roses? Essa eu queria ver e muitos fãs também.

Mick Mars fala sobre álbum solo

Posted in Discos, Guitarristas, Mötley Crüe, Notícias with tags , , , , , , on June 7, 2011 by gabrielpalmaguitar

O guitarrista do Mötley Crüe, Mick Mars, disse ao Dallas Observer que ele tocou com o guitarrista George Benson recentemente e que os dois descobriram que são fãs de Wes Montgomery. A sessão inspirou Mars a querer lançar um disco de R&B, soul e blues. “Mas sem pressa. Vai acontecer se e quando eu achar as pessoas certas”, explicou Mars.

“Já encontrei o baterista e perguntei à Macy Gray se ela gostaria de participar. Não vai ser nada como o Mötley Crüe. Vai ter vários ritmos culturais diferentes”, disse Mars pelo telefone ao Dallas Observer. Depois de uma pausa, procurando as palavras certas, falou: “Vai ser pura música. Na linha do Carlos Santana”.

Mötley Crüe toca amanhã com Poison e New York Dolls no Gexa Energy Pavilion em Dallas, Texas.

Fonte:

Dallas Observer

http://blogs.dallasobserver.com/dc9/2011/06/as_motley_crue_turns_30_mick_m.php

Novidades de Marilyn Manson

Posted in Bandas, Discos, Músicas, Notícias, Videos with tags , , , on May 31, 2011 by gabrielpalmaguitar

Sempre olho no meu blog os Site Stats, que são as estatísticas do meu blog, indicando quantas pessoas entraram por dia, quais foram os termos de motor de busca, ou seja, as palavras-chaves mais pesquisadas etc. O tema mais pesquisado hoje foi Marilyn Manson! Resolvi fazer um post então para saciar a sede dos mansonmaníacos.

Marilyn Manson parece estar entrando em uma fase mais produtiva: reformulou seu site (http://marilynmanson.com/).

Ao entrar você já vê a logomarca e quando coloca o mouse em cima ela muda do preto para várias cores. E quando tira o mouse de cima ela volta de novo para o preto, mas sem antes de apresentar uma surpresa ótica.

Bom, não foi só no visual que Manson investiu. Ele colocou em seu site via vimeo (http://vimeo.com/24055099) um trecho de uma música nova “secreta” (undisclosed) com o título ainda não definido, mas que poderá ser I am among no one.

I am among no one

Manson também colocou em seu vimeo o trailer do filme que começou a fazer em 2006 sobre o autor inglês Lewis Carroll, que fez Alice no país das maravilhas.

Phantasmagoria: The Visions of Lewis Carroll (Trailer)

Manson colocou também em seu site um novo poema, cujas siglas (CMYK), possivelmente darão nome ao seu novo CD.

Rapeture:

 

Christianity

Manufactures

Yesterdays

Killers

 

Brave Now World. Don’t ever believe what you read, especially if you are illiterate.  Art will be the burning churches, burning beds, burning witches, burning bridges, burning Cadillacs, burning forests, burning flags, and the burning human remains that are the evidence of the burned books, filled with stories of our razor and rope burns.

But we will not be the ashes. We will not be cremated, we will cauterize our wounds.  We never wanted our wings anyway.

We are more than the flightless creatures, that are always expected to rise from the bonfire. These are barbecues for trembling, idiot arsons who pretend to be America’s Vatican in whatever ‘ism’ is easiest to swallow.  After the horrid blowing jobs, they expect us to fight against each other to obtain the security of willing slaves.

 

We do not walk among them.  I am among no one.

 

Marilyn Manson

Fonte:

marilynmanson.com

Blabbermouth.net (http://www.roadrunnerrecords.com/blabbermouth.net/news.aspx?mode=Article&newsitemID=158477)

El Acople (http://www.elacople.com/Noticias.aspx?Id=5133)