Archive for marilyn manson

Carnarock 2014 é neste final de semana

Posted in Ao vivo, Bandas, Clubes, Eventos, Fotos, Guitarristas, Mötley Crüe, Noites em Brasília, Shows with tags , , , , , , , , , , , , on February 26, 2014 by gabrielpalmaguitar

flyer1

Neste final de semana, em Brasília, tem Carnarock 2014 da Mosh Produções. O evento é organizado por Ronan Meireles, ex-integrante da banda P.U.S. (da guitarrista Syang). O show começa nesta sexta-feira (28), às 22h, na festa Dark Rave II, com os Djs Dark Viruz (industrial), Vinnie Ttog (especial New Order e Depeche Mode) e H. Sarx (gothic rock); as bandas Acid Reaktion (industrial), Signo Treze (pós punk) e Dust Eletronics (atmosférico); e a dançarina Shabbanna (tribal fusion belly dance).

flyer dia manson

No sábado (1º), a partir das 19h, toca Ítalo Bruno, em performance de bateria, e as bandas Iron Maiden (Iron Wings), Fierce Fire (Metallica), Marilyn Manson (Megera), Kreator, Underhate e Improved. Tocando Manson estão Rafael Hedwig, voz, e Gabriel Palma, guitarra. Os dois começaram a tocar Marilyn Manson ainda na década de 90, quando o mestre das trevas estava no auge de seu sucesso. E neste show os companheiros lembram os velhos tempos de rock ‘n’ roll pela cidade.

flyer1

A banda cover de Kreator é composta pelos membros da Fierce Fire (Renato Mendes, Hara e Arthur), Leo Krieger, no baixo, e Silvio Caetano!

flyer

Normal
0
21

O domingo (2) terá a Hard Rock Night do Carnarock. No cardápio Alice Cooper (Harden), Black Sabbath (Sabotage)
Mötley Crüe (Dr. Feelgood), Mad Dog (Bon Jovi / Skid Row / Whitesnake), Holy Evil (clássicos do hard ’n’ heavy) e
Savannah (clássicos do hard rock).

flyer dia 2

A Dr. Feelgood está com formação completamente nova. Além de Gabriel Palma na guitarra, membro original da banda, tocam pela primeira vez Uriel Alencar, vocal, Rafael Feijó, bateria, e Victor Albuquerque, os dois últimos também da banda RoaD.

white

Gabriel Palma com os guitarristas do Whitesnake, Reb Beach e Doug Aldrich, em 2013

Gabriel Palma também toca na Mad Dog, com Endriw Burmann, baixo, Uriel Alencar, vocal, e Yan Jack Moos. Gabriel promete “detonar tudo” com clássicos do Skid Row, Bon Jovi e Whitesnake. “Eu gosto dessas bandas desde criança. Lembro que minha mãe tinha o vinil de Slip Of The Tongue do Whitesnake. O primeiro do Skid Row foi um dos meus primeiros CDs. E Bon Jovi eu tinha a fita cassete”, diz o guitarrista.

bee dragon arte

Na segunda-feira (3) de Carnaval, tocam às 19h Dead Kennedys (Dead Kubitcheks), Misfits (Misifitis), Rage Against The Machine (Vietnow), Nirvana (Bee Dragon), Rancid Tribute e RG Nox Rock Band (Raimundos, System Of A Down, Legião Urbana, Red Hot Chili Peppers).

No último dia (4), apresentam-se Heia (GO), Imperius Profanus (GO), Radamathys (DF), Ain Sof Aur (DF) e Quartzcout (DF).

See you there!!!

PROGRAMAÇÃO COMPLETA DO CARNAROCK 2014
Local: Strangers Snooker Pub (706/707 norte)
Ingressos: R$ 10 (fem) R$ 15 (masc)
Classificação Indicativa: 18 anos (leve identificação)
PASSAMOS CARTÕES

Sexta 28/fev. (Dark Rave II) – 22 H

Dj DARK VIRUZ (Industrial)
Dj VINNIE TTOG (Especial New Order e Depeche Mode)
Dj H. SARX (Gothic Rock)
Banda ACID REAKTION (Industrial)
Banda SIGNO TREZE (Pós Punk)
Banda DUST ELETRONICS (Atmosférico)
SHABBANNA (Tribal Fusion Belly Dance)

Sábado 01/Mar. – 19H

chrisvrenna

Chris Vrenna (Marilyn Manson/NIN/Tweaker) e Gabriel Palma (São Paulo, 2007)

MARILYN MANSON (Megera)

https://www.facebook.com/pages/Marilyn-Manson-Bras%C3%ADlia/431706830181247

IRON MAIDEN (Iron Wings)
FIRCE FIRE (Metallica)
KREATOR

UNDERHATE

IMPROVED

Domingo 02/Mar. – 19H

MÖTLEY CRÜE (Dr. Feelgood)

https://www.facebook.com/pages/Dr-Feelgood-Mötley-Crüe-Cover-Bras%C3%ADlia/278259342252850
MAD DOG (Bon Jovi / Skid Row / Whitesnake)

https://www.facebook.com/pages/Mad-Dog/214550175350057

ALICE COOPER (Harden)
BLACK SABBATH (Sabotage)
HOLY EVIL (Clássicos do Hard’n’Heavy)
SAVANNAH (Clássicos do Hard Rock)

Segunda 03/Mar. – 19H

DEAD KENNEDYS (Dead Kubitcheks)
MISFITS (MISIFITIS)
RAGE AGAINST THE MACHINE (Vietnow)
NIRVANA (Bee Dragon)
RANCID Tribute
RG NOX ROCK BAND (Raimundos, System Of A Down, Legião Urbana, Red Hot Chili Peppers)

Terça 04/Mar. – 19H
HEIA (GO)
IMPERIUS PROFANUS (GO)
RADAMATHYS (DF)
AIN SOF AUR (DF)
QUARTZCOUT (DF)

Sai Welcome To Violence, novo single de John 5

Posted in Discos, DVD, Guitarristas, Lançamentos, Singles with tags , , , , , , on October 6, 2011 by gabrielpalmaguitar

John 5 (Marilyn Manson/Rob Zombie) lançou o novo single Welcome To Violence do seu disco ainda a ser lançado God Told Me To. Eu achei essa faixa bem industrial, com a base e a bateria me lembrando muito Ministry. Talvez até demais.

A arte da capa, que é bem legal, é do Piggy D., baixista e companheiro de banda do John no Rob Zombie. Segundo o site oficial do John, o álbum terá uma pintura de John 5 por Rob Zombie e virá ainda com um DVD.

John já havia lançado o primeiro single do disco, um cover de Beat It, de Michael Jackson, que não me cativou.

Mais informações

www.john-5.com

 

Vegas Rocks! Magazine Award dá prêmios a rockeiros

Posted in Cantores, Celebridades, Eventos, Guitarristas, Mötley Crüe, Notícias with tags , , , , , , , on July 26, 2011 by gabrielpalmaguitar

O vocaiista do Mötley Crüe, Vince Neil, vai receber o prêmio Lifetime Achievement in Rock ‘n’ Roll no Vegas Rocks! Magazine Award no showroom principal do Hilton de Las Vegas no dia 21 de agosto. Outros rockeiros que irão passar pelo tapete vermelho e receber prêmios são os guitarristas John 5 (Marilyn Manson/Rob Zombie) e Steve Stevens (Billy Idol). Para quem estiver lá, os ingressos custam 25 dólares!!! Uma pechincha!

Fonte:

Blabbermouth.net

www.vegasrocks.com

Novidades de Marilyn Manson

Posted in Bandas, Discos, Músicas, Notícias, Videos with tags , , , on May 31, 2011 by gabrielpalmaguitar

Sempre olho no meu blog os Site Stats, que são as estatísticas do meu blog, indicando quantas pessoas entraram por dia, quais foram os termos de motor de busca, ou seja, as palavras-chaves mais pesquisadas etc. O tema mais pesquisado hoje foi Marilyn Manson! Resolvi fazer um post então para saciar a sede dos mansonmaníacos.

Marilyn Manson parece estar entrando em uma fase mais produtiva: reformulou seu site (http://marilynmanson.com/).

Ao entrar você já vê a logomarca e quando coloca o mouse em cima ela muda do preto para várias cores. E quando tira o mouse de cima ela volta de novo para o preto, mas sem antes de apresentar uma surpresa ótica.

Bom, não foi só no visual que Manson investiu. Ele colocou em seu site via vimeo (http://vimeo.com/24055099) um trecho de uma música nova “secreta” (undisclosed) com o título ainda não definido, mas que poderá ser I am among no one.

I am among no one

Manson também colocou em seu vimeo o trailer do filme que começou a fazer em 2006 sobre o autor inglês Lewis Carroll, que fez Alice no país das maravilhas.

Phantasmagoria: The Visions of Lewis Carroll (Trailer)

Manson colocou também em seu site um novo poema, cujas siglas (CMYK), possivelmente darão nome ao seu novo CD.

Rapeture:

 

Christianity

Manufactures

Yesterdays

Killers

 

Brave Now World. Don’t ever believe what you read, especially if you are illiterate.  Art will be the burning churches, burning beds, burning witches, burning bridges, burning Cadillacs, burning forests, burning flags, and the burning human remains that are the evidence of the burned books, filled with stories of our razor and rope burns.

But we will not be the ashes. We will not be cremated, we will cauterize our wounds.  We never wanted our wings anyway.

We are more than the flightless creatures, that are always expected to rise from the bonfire. These are barbecues for trembling, idiot arsons who pretend to be America’s Vatican in whatever ‘ism’ is easiest to swallow.  After the horrid blowing jobs, they expect us to fight against each other to obtain the security of willing slaves.

 

We do not walk among them.  I am among no one.

 

Marilyn Manson

Fonte:

marilynmanson.com

Blabbermouth.net (http://www.roadrunnerrecords.com/blabbermouth.net/news.aspx?mode=Article&newsitemID=158477)

El Acople (http://www.elacople.com/Noticias.aspx?Id=5133)

Nova música de Manson

Posted in Músicas, Notícias with tags , , , on May 25, 2011 by gabrielpalmaguitar

Vasou para a internet nova música de Marilyn Manson. Trata-se de uma versão para Everyday Is Halloween, originalmente gravada por Ministry. Ouça ela abaixo!

Marilyn Manson e Lindsay Lohan na festa da DeLeon Tequila

Posted in Notícias with tags , , , , , on May 16, 2011 by gabrielpalmaguitar

Marilyn Manson e Lindsay Lohan foram fotografados juntos se divertindo ontem na festa de aniversário de 2 anos da DeLeon Tequila, no Chateau Marmon, em Los Angeles.

Segundo o site TMZ, os dois talvez atuem juntos em um longa sobre o serial killer Charles Manson. Marilyn Manson está interessado em interpretar Tex Watson, braço direito do assassino.

O diretor Tyler Shields convidou Lindsay Lohan para representar a atriz Sharon Tate.

Segundo o site, a produção adorou a ideia de ter Manson representando Tex Watson e está seriamente considerando a proposta embora nada tenha sido confirmado oficialmente.

Chris Vrenna é o novo batera de Marilyn Manson

Posted in Bateria, Notícias with tags , on May 7, 2011 by gabrielpalmaguitar

Chris Vrenna é o novo baterista de Marilyn Manson. Segue um vídeo dele abaixo!

Ginger Fish é o novo batera de Rob Zombie

Posted in Bateria, Notícias with tags , , , on May 7, 2011 by gabrielpalmaguitar

Ginger Fish, que saiu do Marilyn Manson em 24 de fevereiro deste ano, é o novo baterista de Rob Zombie.

Marky Ramone’s Blitzkrieg em Brasília

Posted in Shows with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on January 4, 2011 by gabrielpalmaguitar

Fiquei sabendo! Marky Ramone tocará em Brasília na sexta-feira, dia 5 de novembro de 2010, pelo Pílulas Porão do Rock, no Arena. Eu não queria perder esse show por nada. Comprei os ingressos antecipados para mim, minha namorada, Alessandra, e meu irmão, Tiago. No dia do show, juntei todos os CDs dos Ramones que eu tinha em que Marky tocava, na esperança de conseguir os autógrafos dele. Coloquei os encartes dentro de um envelope junto com uma caneta permanente e saí para o show. De tão preocupado com os encartes e com a possibilidade de poder conhecer Marky e tirar fotos com ele, esqueci os ingressos em casa!!!

Ao chegar no show, um conhecido que estava trabalhando com uma das bandas de abertura, Gonorantes, falou que viu Marky durante a passagem de som! Eu fui pirando com aquilo. Queria conhecê-lo. Sentei com Alessandra, Tiago e amigos: Letícia e Punk, Dani e Seabra; em uma barraca de cachorro-quente. Depois de algumas cervejas, eles decidiram entrar pra ver a banda de abertura enquanto eu fiquei com Alessandra na barraquinha. Bendita decisão!

Marcelo Seabra, Dani Cureau, Tiago Palma e eu

 

De repente chega uma van querendo adentrar o local. “Pronto”, eu falei, “é Marky Ramone!!!”. E não deu outra, fiquei em frente à van que tinha Marky Ramone no banco de passageiro!!! Ele estava com o seu cabelo típico e todos os fãs se amontoavam para vê-lo. Marky acenou para os fãs. Eles cantavam em coro: “Hey Ho Let’s Go!”. Peguei minha máquina o mais rápido que pude e tirei uma foto desse momento, antes da van entrar pelos portões.

 

Marky Ramone chegando no Arena

Ao voltar para Alessandra eu disse: “Amor, era o Marky Ramone!”. “Por que você não me avisou que era ele? Eu teria me jogado em frente àquela van!!!”, ela disse. “Mas eu te disse que era ele e você não acreditou”, respondi. “Sim, mas se você tivesse gritado de lá eu teria me jogado!!!!”, disse Alessandra.

Alessandra e eu

A banda que Marky trouxe foi batizada de Marky Ramone’s Blitzkrieg e a turnê de Marky Ramone’s South American Blitzkrieg. A banda é formada por Marky Ramone na bateria, claro, Michale Graves, ex-frontman e vocalista dos Misfits, nos vocais, e El Tucán, na guitarra, e Niño, no baixo, ambos da banda Los Violadores, substituindo Alex Kane e Clare B, respectivamente, da banda Anti-Product.

Entrando no local do show, já impressionou uma manta com a logomarca do Marky Ramone’s Blitzkrieg atrás do palco e a bateria dourada de Marky Ramone. Não posso falar sobre a primeira banda de abertura, Gonorants, porque não vi o show. A segunda, The Squintz, fez um punk rock em inglês que não me impressionou.

A estrutura de palco estava uma bosta. Para as bandas de abertura já não era uma boa estrutura. O palco minúsculo não condizia com o porte de Marky Ramone, uma lenda viva (Marky já foi induzido no Rock ‘n’ Roll Hall Of Fame, e assim como os outros Ramones, tem uma estrela com seu nome). Se você for a qualquer loja de música (CDs, DVDs, livros) da cidade, vai encontrar produtos dos Ramones. Eles são uma das maiores bandas de toda a história do rock, sendo reverenciada por integrantes das maiores bandas da atualidade: Green Day, U2, Metallica, entre muitas outras.

Alessandra

Nós demos sorte porque conseguimos ficar na grade do show. Antes de começar o show de Marky Ramone, eu vi Alf, das bandas Rumbora e Raimundos, e perguntei pra ele se me conseguiria autógrafos de Marky. “Você tem que falar com o Simon”, respondeu, apontando para o roadie de Marky, Simon Chainsaw. Eu e, especialmente, Alessandra, começamos a gritar: “Simon!!!”. Simon fez sinal com a mão para nós esperarmos. Assim que pôde, veio até nós. Eu mostrei pra ele o envelope com os encartes. “Eu vou ver o que posso fazer”, ele disse. Continuou a montar o palco pra banda e sumiu no backstage.

Simon Chainsaw

Segundos antes do show começar ele veio até mim com o envelope e o set list!!! Eu guardei rapidamente no meu bolso com medo de alguém da plateia querer roubar de mim, deixando pra ver depois a minha surpresa. Por sorte, ninguém meteu a mão no meu bolso, e quando fui olhar no final do show, Marky e Michale Graves tinham autografado TODOS os encartes que eu levei (seis dos Ramones e um dos Misfits), assim como o set list, que estava inclusive com a letra do refrão de Dig Up Her Bones, dos Misfits, no verso.

Quando o show de Marky Ramone começou foi uma loucura. Todos começaram a pular iguais a uns loucos e para ficar no mesmo lugar foi um sacrifício. Sempre tem uns idiotas que não sabem a diferença entre violência e diversão. Faltaram punks verdadeiros no local, que não tem dinheiro para ir no show do Marky Ramone, e sobraram playboys bêbados descendo a porrada na galera que queria curtir o show numa boa.

Com a manta com a logomarca do Marky Ramone’s Blitzkrieg, a águia dos Ramones com duas baquetas nas mãos, atrás do palco, Marky, em sua bateria dourada, ficava em frente à águia, dando a impressão de que as asas lhe pertenciam, indicando talvez que ele seja o próximo dos Ramones a morrer, depois de Joey Ramone, Johnny Ramone e Dee Dee Ramone.

Marky Ramone entrou nos Ramones depois que Joey, nos vocais, Johnny, na guitarra, e Dee Dee, no baixo, já tinham gravado seus três primeiros discos com o baterista Tommy Ramone, que inclusive compunha músicas (foi ele quem escreveu a letra de Blitzkrieg Bop, hino dos Ramones). Muitas das músicas do show foram tiradas desses discos: Ramones (1976), Leave Home e Rocket To Russia (ambos de 1977). Eles contém os principais clássicos da banda.

Rockaway Beach

A primeira música do show, como no It’s Alive (1979), foi Rockaway Beach, do disco Rocket To Russia. Escrita no estilo dos Beach Boys por Dee Dee, que segundo Johnny, é o único membro dos Ramones que gosta de praia, essa música fala sobre o bairro Rockaway Beach, em Queens, Nova York, local de origem dos Ramones e onde Dee Dee gostava de passar tempo.

De acordo com Legs McNeil, co-autor do livro Mate-me por favor: Uma História Sem Censura do Punk (1997), que foi lá uma vez com Joey, o lugar era um esgoto. “Tinham garotas viciosas de bikini e salto-alto bebendo cervejas tallboy (em latão) dentro de sacos de papel. Todos estavam chapados de Quaaludes e Tuinals”.

Quaaludes é uma droga sedativa e hipnótica depressora do sistema nervoso central, do princípio ativo Methaqualone, conhecida também como Mandrix. Tuinal é uma droga composta de dois sais barbitúricos, com inúmeras referências na cultura pop. Na letra de Psycho Therapy, dos Ramones, Joey canta I like taking Tuinal/It keeps me edgy and mean/I’m a teenage schizoid/I’m a teenage dope fiend.

Teenage Lobotomy

A segunda música foi Teenage Lobotomy, também do disco Rocket To Russia. Escrita por Dee Dee, ela tem um grito de guerra de lobotomia, que, segundo o Houaiss, é “uma intervenção cirúrgica no cérebro na qual são seccionadas as vias que ligam as regiões pré-frontais e o tálamo, usada no passado nos casos graves de esquizofrenia”. A letra dessa música fala também de DDT, um pesticida sintético.

Psycho Therapy

A terceira música foi Psycho Therapy, do disco Subterranean Jungle (1983), escrita por Dee Dee e Johnny. Assim como muitas músicas dos Ramones, ela fala sobre problemas mentais. Embora Marky tenha tocado no disco, quem aparece no vídeo-clipe de Psycho Therapy é Richie Ramone. Skid Row faz um cover dessa música no EP B-Side Ourselves (1992).

Do You Wanna Dance?

A quarta música foi Do You Wanna Dance?, de Bobby Freeman (1958). Ela foi gravada pelos Beach Boys (1965), Bette Midler (1972), John Lennon e T. Rex (1975), antes de ser gravada pelos Ramones, Rocket To Russia (1977). A versão dos Ramones foi utilizada nos comerciais do DVD do filme Wall-E nos Estados Unidos e no filme Rock ‘n’ Roll High School com os Ramones (a música Rock ‘n’ Roll High School foi lançada no disco End Of The Century, de 1980).

I Don’t Care

A quinta música foi I Don’t Care. Escrita por Joey, ela é do disco Rocket To Russia, que no encarte tem um cara pensando na explosão do mundo. A música Que pais é esse?, da Legião Urbana, tem uma base muito parecida com ela, se não idêntica (A da Legião é em Mi menor e a dos Ramones é em Lá Maior). Essa música foi um dos pontos altos de Michale Graves no show.

Sheena Is A Punk Rocker

A sexta música do show foi Sheena Is A Punk Rocker, do disco Rocket To Russia, que no encarte tem uma espécie de Jane do Tarzan. Segundo Legs McNeil, essa música, escrita por Joey, engloba todas as influências dos Ramones: Beach Boys, The Stooges, Bay City Rollers, New York Dolls, Rolling Stones, Jimi Hendrix, Mountain, Herman’s Hermits, 1910 Fruitgom Co., Sweet, Marc Bolan, Velvet Underground etc.

Havanna Affair

A sétima música foi Havanna Affair, escrita por Dee Dee e Johnny, do disco Ramones. Segundo a Wikipédia, Ela foi inspirada no quadrinho Spy vs. Spy do ilustrador cubano Antonio Prohias. A banda Red Hot Chili Peppers fez uma versão para essa música para o disco We’re a Happy Family – A Tribute To The Ramones (2003), produzido por Rob Zombie e Johnny Ramone, que escolheu-a para abrir o álbum por ter sido seu cover favorito.

Commando

A oitava música foi Commando, do álbum Leave Home, escrita por Dee Dee. No encarte da reedição da Rhino, Donna Gaines, uma escritora que cresceu no Rockaway Beach, explica que a letra veio da fixação dos Ramones por filmes de guerra.

“A letra fala sobre a preparação de soldados para Vietnam, sua capital, Hanói, e a Alemanha Oriental. Ela tem uma série de ordens dementes criadas por Dee Dee: seguir as leis alemãs, ser gentil à mamãe, não falar com os comunistas e comer salamis kosher”.

Beat On The Brat

A nona música foi Beat On The Brat. Do primeiro disco, Ramones, Joey escreveu essa música depois que ficou irritado com a choradeira dos filhos das madames ricas de Forest Hills, particularmente de um deles, no playground, que deixou-o com vontade de matá-lo.

53rd and 3rd

A décima música foi 53rd and 3rd, também do disco Ramones. Dee Dee escreveu a letra dessa música, alguns dizem que de forma autobiográfica, sobre um gigolô que consegue um cliente na interseção da East 53rd Street com a 3rd Avenue em Midtown Manhattan, famoso ponto de prostituição nova-iorquino. No final, o gigolô mata o cliente com uma navalha para provar que não é homossexual.

Do You Remember Rock ‘n’ Roll Radio?

A décima primeira música foi Do You Remember Rock ‘n’ Roll Radio?, do disco End Of The Century. O nome desse disco vem da letra dessa música: It’s the end, the end of the seventies/It’s the end, the end of the century. Ela também fala algo super-importante para o rock ‘n’ roll: We need a change, we need it fast/Before rock’s just part of the past. E há referência lúdica: Do you remember lying in bed/With the covers pulled over your head/Radio playin’ so no one can see.

Capa do End Of The Century autografada por Marky Ramone

Now I Wanna Sniff Some Glue

A décima segunda música foi Now I Wanna Sniff Some Glue. Escrita por Dee Dee e do disco Ramones, foi a primeira música dos Ramones que não começava com uma negação (I don’t). hahahahaha

Judy Is A Punk

A décima terceira música foi Judy Is A Punk, também do disco Ramones. Segundo Donna Gaines, Joey escreveu essa música sobre duas fãs dos Ramones, Judy e Jackie, que eram delinqüentes juvenis locais, punks se metendo em encrenca. “Elas morreram em um acidente de avião, tornando a letra perhaps they’ll die em uma profecia”.

Poison Heart

A décima quarta música do show foi Poison Heart. Essa música, do disco Mondo Bizarro, foi escrita por Daniel Rey, ex-baixista do The Dictators, e Dee Dee, já fora da banda, em troca de uma fiança para tirar Dee Dee da cadeia. Ela foi incluída no filme Cemitério Maldito 2 (1992).

Capa de Mondo Bizarro autografada por Marky Ramone

I Believe In Miracles

A próxima música (15) foi I Believe In Miracles, do disco Brain Drain (1989), escrita por Daniel Rey e Dee Dee. Sobre esse disco, Dee Dee, segundo a Wikipédia, disse: “Foi difícil gravá-lo. Todos da banda descontavam seus problemas, de namorada, financeiros, mentais, em mim”. Essa música foi gravada por Eddie Vedder, vocalista do Pearl Jam, com a banda de hardcore Zeke para o disco We’re a Happy Family.

Capa de Brain Drain autografada por Marky Ramone

The KKK Took My Baby Away

A décima sexta música foi The KKK Took My Baby Away, escrita por Joey, do disco Pleasant Dreams (1981). Marilyn Manson fez um cover dessa música no disco We’re a Happy Family. A partir dessa música, infelizmente não consegui filmar mais devida a violência em frente à grade (os seguranças estavam deitados tentando segurá-la).

Pet Sematary

A próxima música (17) foi Pet Sematary, escrita por Dee Dee e Daniel Rey, do disco Brain Drain. Essa música foi incluída no filme Cemitério Maldito (1989).

Chinese Rock

Na sequência, tocaram Chinese Rock (18), escrita por Dee Dee e Richard Hell, para o disco End Of The Century (1980). Essa música foi gravada anteriormente pela banda Johnny Thunders and the Heartbreakers no disco L.A.M.F. (1977). De acordo com Dee Dee, segundo relata no livro Mate-me, por favor, ele escreveu-a sozinho, no apartamento de Debbie Harry em First Avenue e First Street, depois de Richard Hell ter dito que queria escrever uma música sobre heroína melhor que Heroin, de Lou Reed.

Marky Ramone e Michale Graves

I Wanna Be Sedated

Em seguida tocaram I Wanna Be Sedated (19), de Joey, do primeiro disco de Marky com os Ramones, Road To Ruin (1978). A música é sobre a primeira ida dos Ramones à Inglaterra, onde passaram o natal assistindo a filmes americanos na televisão. Muitos covers foram feitos dela: Vince Neil, no single de Sister Of Pain, Rita Lee, no MTV ao vivo (2004), em uma versão horrorosa traduzida para o português, Offspring, em We’re A Happy Family. O vídeo-clipe dessa música, entretanto, foi lançado em 1988, promovendo a coletânea Ramones Mania.

I Don’t Wanna Walk Around With You

A próxima música foi I Don’t Wanna Walk Around With You (20), de Dee Dee, do disco Ramones (1976). De acordo com a Wikipédia, Johnny teria dito que a primeira gravação dessa música foi em 1974, com o título I Don’t Wanna Get Involved With You.

Today Your Love, Tomorrow The World

Em seguida tocaram Today Your Love, Tomorrow The World (21), também do disco Ramones. A esta é dada o crédito a todos da banda. Segundo a Wikipédia, a música é sobre um membro da Juventude Hitlerista ou Hitleriana, que visava treinar crianças e adolescentes de 6 a 18 anos. Segundo Donna Gaines, Johnny Ramone teria dito que a imagem nazista funcionou como estética, e não política, e que para Joey, a música era sobre a união entre fãs e banda.

Pinhead

A próxima música foi Pinhead (22), de Dee Dee, do disco Leave Home. A inspiração para essa música veio depois da banda ter ido assistir ao filme Freaks (1932), de Tod Browning, quando um show deles em Ohio foi cancelado por causa de chuva. O trecho da letra Gabba gabba/We accept you/We accept you/One of us foi baseado na frase do filme gooble gooble, gooble gooble, one of us, one of us. Durante muitos shows dos Ramones, o roadie Bubbles aparecia no final com uma máscara de pinhead e um cartaz com a frase Gabba gabba hey.

Encore #1

O próximo bloco do show foi o encore #1 com o set acústico de Michale Graves.

Scream!

A primeira música foi Scream! (23), do disco Famous Monsters (1999), da banda Misfits. De acordo com a Wikipédia, essa música foi escrita em um estacionamento de Seattle, durante uma turnê dos Misfits, quando a banda ficou sabendo que o diretor Wes Craven queria usar uma música deles para o filme Mestre dos desejos (Wishmaster). Entretanto, eles gravaram uma versão demo para o filme Pânico 2 (Scream 2), que acabou não sendo usada.

Saturday Night

A próxima música foi Saturday Night (24), também do disco Famous Monsters.

Descending Angel

A música seguinte foi Descending Angel (25), escrita pelos Misfits e Daniel Rey, para o disco Famous Monsters.

Encore #2

Dig Up Her Bones

O próximo bloco, encore #2, começou com a música Dig Up Her Bones (26), do disco American Psycho (1997), dos Misfits.

Poster do encarte de American Psycho autografado por Michale Graves

When We Were Angels

Em seguida tocaram When We Were Angels (26), composição de 2009 do Marky Ramone’s Blitzkrieg.

I Just Wanna Have Something To Do

Na seqüência tocaram I Just Wanna Have Something To Do (27), escrita por Joey, do disco Road To Ruin.

Cretin Hop

Depois tocaram Cretin Hop (28), escrita por Tommy, Johnny e Dee Dee, do disco Rocket To Russia, que, segundo a Wikipédia, foi inspirada na rua Cretin Avenue em St. Paul, Minnesota, que recebeu o nome em homenagem ao Bishop Joseph Crétin.

R.A.M.O.N.E.S.

Em seguida tocaram a música R.A.M.O.N.E.S. (29), escrita pela banda Motörhead, como um tributo aos Ramones, que a regravaram para o disco Greatest Hits Live! (1996).

Encarte de Greatest Hits Live! autografado por Marky Ramone

Encore #3

Have You Ever Seen The Rain?

O último bloco, encore #3, começou com a música Have You Ever Seen The Rain? (30), de John Fogerty do Creedence Clearwater Revival. Esse clássico do rock ‘n’ roll de 1970 foi gravado pelos Ramones no disco Acid Eaters (1993).

Encarte de Acid Eaters autografado por Marky Ramone

What A Wonderful World

A penúltima música foi What A Wonderful World (31), de Bob Thiele e George David Weiss. Originalmente gravada por Louis Armstrong, Marky Ramone tocou a bateria dessa música no disco solo de Joey Ramone Don’t Worry About Me (2002). O disco foi lançado depois da morte de Joey, falecido em 2001.

Eu tenho esse encarte (o CD foi roubado junto com outros CDs e o som do meu carro em 2002), mas esqueci ele em casa, assim como o Loco Live (1992), quando peguei os autógrafos de Marky (fica para a próxima, assim como os outros CDs em que ele tocou e eu ainda não tenho. Vou ter…hehehe).

Blitzkrieg Bop

Voltei a filmar!

A última música do show foi Blitzkrieg Bop (32), escrita por Tommy e Dee Dee, para o disco Ramones. Essa é o hino dos Ramones. Ela contém o famoso Hey! Ho! Let’s Go!, o grito de guerra dos Ramones.

Setlist

1 Rockaway Beach – Rocket To Russia – Dee Dee

2 Teenage Lobotomy – Rocket To Russia – Dee Dee

3 Psycho Therapy – Subterranean Jungle – Dee Dee e Johnny

4 Do You Wanna Dance? – Rocket To Russia – Bobby Freeman

5 I Don’t Care – Rocket To Russia – Joey

6 Sheena Is a Punk Rocker – Rocket To Russia – Joey

7 Havanna Affair – Ramones – Dee Dee e Johnny

8 Commando – Leave Home – Dee Dee

9 Beat On The Brat – Ramones – Joey

10 53rd and 3rd – Ramones – Dee Dee

11 Do You Remember Rock ‘n’ Roll Radio? – End Of The Century – Joey

12 Now I Wanna Sniff Some Glue – Ramones – Dee Dee

13 Judy Is A Punk – Ramones – Joey e Dee Dee

14 Poison Heart – Mondo Bizarro – Dee Dee e Daniel Rey

15 I Believe In Miracles – Brain Drain – Dee Dee e Daniel Rey

16 The KKK Took My Baby Away– Pleasant Dreams – Joey

17 Pet Sematary – Brain Drain – Dee Dee e Daniel Rey

18 Chinese Rocks – End Of The Century – Dee Dee e Richard Hell

19 I Wanna Be Sedated – Road To Ruin – Joey

20 I Don’t Wanna Walk Around With You – Ramones – Dee Dee

21 Today Your Love, Tomorrow The World – Ramones – Ramones

22 Pinhead – Leave Home – Dee Dee

Encore #1 – Michale Acoustic

23 Scream! – Famous Monsters – Misfits

24 Saturday Night – Famous Monsters – Michale Graves (Misfits)

25 Descending Angel – Famous Monsters – Misfits e Daniel Rey

Encore #2

26 Dig Up Her Bones – American Psycho – Misfits

27 When We Were Angels – composição atual – Marky Ramone e Michale Graves (Marky Ramone’s Blitzkrieg)

28 I Just Wanna Have Something To Do – Road To Ruin – Joey

29 Cretin Hop – Rocket To Russia – Tommy, Johnny e Dee Dee

30 Ramones – Greatest Hits Live! – Motörhead

Encore #3

31 Have You Ever Seen The Rain? – Acid Eaters – John Fogerty (Creedence Clearwater Revival)

32 What A Wonderful World – Don’t Worry About Me (Joey Ramone) – Bob Thiele e George David Weiss

33 Blitzkrieg Bop – Ramones – Tommy e Dee Dee

Robert Smith: visual gótico e guitarra

Posted in Perfil with tags , , , , , , , , , , , , on March 19, 2010 by gabrielpalmaguitar

Robert James Smith nasceu em 21 de abril de 1959 na Inglaterra. Ele é o cantor, compositor, vocalista e único membro permanente da banda The Cure desde a sua formação em 1976. Além da guitarra, Smith toca também baixo, teclado, contra-baixo acústico, violino, flauta e trompete.

Infância


Smith é o terceiro de quatro filhos do casal Alex e Rita Smith. Seus irmãos são Richard, Margaret e Janet. Janet Smith é casada com Porl Thompson, o segundo guitarrista do The Cure. Ele e Smith alternam entre bases e solos. Robert Smith tem sido casado com seu romance de colégio Mary Poole desde 1988 e o casal optou por não ter filhos.

Casamento de Robert Smith e Mary Poole

Robert Smith foi criado como católico e frequentou Notre Dame Middle School e St. Wilfrid’s Comprehensive School em Crawley. Ele foi um bom aluno e obteve boas notas, mas a partir dos 11 anos quando começou a tocar guitarra o seu foco passou a ser a música. Ele foi influenciado por The Beatles, Nick Drake, Jimi Hendrix (ele tocou uma versão de Foxy Lady em Three Imaginary Boys, primeiro disco do The Cure), The Stranglers, The Ink Spots, Syd Barrett e David Bowie.

The Cure

Quando The Cure foi formada, Robert Smith não era seu vocalista e só passou a ser depois que o vocalista original deixou a banda. No final dos anos 70 e até meados dos anos 80, Smith compôs as músicas do The Cure em um órgão Hammond com um gravador de fita interno incluindo uma versão completa demo de 10:15 Saturday Night.

Robert Smith tem sido o principal compositor e letrista do The Cure em seus 30 anos de existência. Junto com Lol Tolhurst, escreveu músicas como The Lovecats, Let’s Go To Bed e The Walk.

Robert Smith lançou o quinto disco do The Cure, em 1984, enquanto era guitarrista da banda Siouxsie and the Banshees.

Persona e imagem

Nos anos 80, Robert Smith ajudou a popularizar a imagem gótica em seu modo de vestir com seu batom borrado no rosto, palidez, cabelo preto bagunçado, roupas pretas e tênis. De acordo com o baixista Steven Severin do Siouxsie and the Banshees, Smith começou a usar batom com o de Siouxsie Sioux depois que ele usou ópio. Apesar disso, Smith alega ter usado maquiagem desde criança e não gosta que as pessoas associem The Cure ao movimento gótico.

Robert Smith e Siouxsie Sioux: influência de ópio e batom vermelho

Os temas dos primeiros álbuns do The Cure tratavam de depressão, isolamento e solidão. Esses climas sombrios aliados com a persona no palco de Robert Smith consolidaram a imagem gótica à banda. Entretanto, a banda mudou de assustadora para psicodélica com o disco The Top, de 1984.

Em 1986, Smith mudou sua imagem na imprensa ao aparecer em público com cabelo curto espetado e camisas esportivas pólo. Embora as músicas do The Cure sejam depressivas, Smith declarou que não é assim que ele se sente durante a maior parte do tempo, mas que compõe quando está triste.

Estilo vocal

No começo da banda, Smith usou um estilo vocal suave nas demos de 10:15 Saturday Night e Boys Don’t Cry, e um estilo punk frenético em I Just Need Myself. Esses dois estilos foram deixados de lado quando um terceiro surgiu durante a produção do álbum debutante da banda, Three Imaginary Boys, de 1979. Esse novo som dos vocais pode ser ouvido nas versões finais das músicas e foi empregado até o álbum Bloodflowers, de 2000. Embora as pessoas tenham sempre taxado os vocais de Robert Smith de depressivos, ele também conseguiu cantar músicas felizes como Friday I’m In Love e Mint Car.

Estilo de composição

As composições de Robert Smith têm mostrado várias facetas e estilos diferentes durante os anos. No início incorporou paráfrases literárias da novela de Camus L’Etranger em Killing An Arab, metaficção punk em So What, surrealismo em Accuracy, rock/pop em Boys Don’t Cry e I’m Cold, e climas poéticos em Another Day e Fire In Cairo.

O estilo de compor de Robert Smith tomou um rumo mais pop depois de Pornography, quarto disco da banda, de 1982. Até as músicas mais upbeat têm temas dark, como a música In Between Days.

Robert Smith disse em uma entrevista que o som que ele mais gosta de fazer com The Cure é o que cria uma atmosfera. Ele não acha que exista um som típico da banda, mas sim vários sons que mudaram com o tempo e as formações diferentes da banda.

Colaborações

Robert Smith tem feito trabalhos fora do The Cure. Foi guitarrista do Siouxsie and the Banshees em 1979 e de 1982 a 1984. Teve um trabalho paralelo com o baixista dessa banda, Steven Severin, em 1983 chamado The Glove. Em 1980 cantou backing vocals na música The Affectionate Punch no álbum de estreia do The Associates, da gravadora Fiction Records, a mesma do The Cure na época. A música Cut Here, do The Cure, é sobre o suicídio de Billy Mackenzie, vocalista do The Associates, em 1997.

Em 1998, Robert Smith fez um projeto paralelo de uma música, A Sign From God, com Jason Cooper e Reeves Gabrels, guitarrista de David Bowie, sob o nome COGASM para o filme Orgazmo.

Em 2000 Smith contribuiu na faixa Yesterday’s Gone no disco solo de Reeves Gabrels Ulysses (Della Notte).

Em 2003 Smith colaborou com a banda pop punk Blink-182 na música All Of This.

Em 2004 Smith co-escreveu e cantou na música Truth Is da banda Tweaker de Chris Vrenna, antigo programador e baterista da banda industrial Nine Inch Nails e atual tecladista, compositor, produtor e engenheiro de som de Marilyn Manson.

Chris Vrenna com Gabriel Palma em São Paulo, 2007, na cobertura do Hotel Unique

Smith cantou com Junior Jack no hit de boate Da Hype e participou de seu remix no disco Trust It.

Blank & Jones remixaram A Forest com Smith nos vocais.

Smith também foi vocalista e co-autor de Perfect Blue Sky de JunkieXL.

Em 2005 Smith juntou-se com Billy Corgan, vocalista e guitarrista de The Smashing Pumpkins e Zwan, para um cover de To Love Somebody dos Bee Gees no primeiro disco solo de Corgan, TheFutureEmbrace.

Smith também cantou como convidado na faixa Come To Me no disco We Were Exploding Away da banda 65daysofstatic.

Aparições como convidado

Em 1993 Smith apareceu como ele mesmo no programa de comédia da BBC2 Newman & Baddiel In Pieces. Em um cemitério, Smith, que sofreu paródias constantes dos dois comediantes, dizia: “Nunca me senti tão miserável”.

Em 9 de janeiro de 1997, Smith subiu ao palco com David Bowie no concerto para comemorar os 50 anos de David Bowie em Madison Square Garden, Nova York, para fazer duo em duas músicas de Bowie: The Last Thing You Should Do e Quicksand.

Em 2004 Smith foi um dos três apresentadores convidados para John Peel no BBC Radio 1, uma semana antes da morte de Peel. Em novembro Smith subiu ao palco com Placebo no show de arena deles em Wembley para cantar a música de sucesso de Placebo Without You I’m Nothing e Boys Don’t Cry, do The Cure.

Ainda em 2004, Smith cantou em um show com Blink-182 All Of This e Boys Don’t Cry.

Em 2006 Smith com sua banda The Cure juntou-se à banda de new metal Korn em show acústico dessa para mesclar Make Me Bad, de Korn, com In Between Days, do The Cure.

Smith também está em um episódio de South Park, em que batalha com “Mecha” Barbra Streisand em uma luta que destrói por completo a cidade de South Park. Smith se assemelha muito com Mothra dos filmes de Godzilla, mas tem a habilidade do “soco de robô” para nocautear a versão Godzilla (Mecha) de Streisand. Em uma cena, ele chuta Cartman no meio das pernas para conseguir de volta seu walkie-talkie. No final do episódio, quando Smith caminha para o pôr do sol, Kyle opina que Desintegration é o melhor álbum de todos os tempos.

Robert Smith em South Park

Smith também é convidado na trilha sonora de Alice no Pais das Maravilhas de Tim Burton, Almost Alice, na faixa Very Good Advice, um cover de uma das músicas do Alice no Pais das Maravilhas original de 1951.